Não disfarço estas saudades…

Hoje é dia do Pai!!! E eu ainda digo esta palavra todos os dias! As minhas saudades não são disfarçadas… Eu não quero não sentir saudades!!! Aliviam o coração, fazem bem à alma…

Pai, hoje apetece-me ficar abraçada às minhas memórias… Aos sorrisos cheios que se desenhavam no nosso rosto… Às tuas gargalhadas que contagiavam tudo e todos à tua volta… Éramos tão felizes e não sabíamos!!!

Tínhamos vista para o mar mais lindo do mundo e do nosso quintal víamos a serra mais verde… Hoje apetece-me falar daquele tempo do pai alegre, do pai cabeça de vento, do pai divertido e orgulhoso dos filhos, do pai-criança que tu eras!!!

Esse pai deixou saudades, acredita em mim!! Saudades do passado inocente e das festas que fazias quando nos vias, das festas que fazias aos teus netos!! Sim, tenho saudades… Dos churrascos, e do vinho seco que trazias num garrafão… Saudades daquela açorda que fazias para matar os meus desejos de grávida… Pai, a vida sabia melhor contigo cá!!!

Sabes, tenho tantas saudades dos teus filhos, de nós, na inocência e na infância… Saudades de partilhar a nossa existência contigo, lado a lado… Não consigo nem quero lutar contra isto!! Não vale a pena. O que passou, passou… Agora temos as memórias, as recordações, as provas de que passaste por cá e tanto nos amaste! Os vídeos, o eco das tuas gargalhadas pela casa, o teu cheiro na nossa casa…

E resta aquilo que deixaste em nós, os teus filhos!! A cara do Hugo, tão parecido contigo!!! A postura altiva e elegante da Elma!! O físico atlético e a bondade do Ronaldo!! E eu… A mim deixaste-me a tua alegria, a tua alma infantil!!!

É bom sentir isto… Recordar… Faz-me sentir que tenho a alma limpa, deixa-me mais rica!! Mas admito que bate uma saudade, uma nostalgia, uma vontade de voltar atrás no tempo… Sem querer apagar um parágrafo do que aconteceu nesta nossa história!!!

Tudo teve sentido, não teve?! Oh, como teve!! O passado não se apaga e ainda bem. É esta a nossa escola!! A escola do sangue… Esse não se tira!!! A memória fica e a carne é a mesma carne, é assim mesmo! Somos feitos da mesma matéria, pai…

Que fortuna maravilhosa é ter família, ter história, ter gentes que são nossas!!! Que fortuna foi ter-te como pai, apesar dos defeitos!! A fortuna de ter estado contigo, aquele pouco de ti que nos deixaste!!! Está no sangue, é aquilo de que somos feitos… Deixaste memórias e um legado que nós vamos continuar!! Estas marcas vão ficar a a eternidade, pai.

Podia falar de injustiça, da morte maldita que te levou de nós… Das brigas que tive com Deus… Enfim, podia falar dos abraços que vinham depois, com lágrimas à mistura… Até isso traz saudades!!!

Saudades da tua voz, do som da porta a abrir sempre à mesma hora… Pai, tudo em mim me deixa saudades… Saudades do iogurte que era aberto no lado contrário para não perder tempo, do pão com banana, do pão com pêra abacate, do milho frito com salsichas e ovo!!!

Lembro-me do barulho que fazias no quintal, a marcar território, a marcar presença… Tu eras assim mesmo, um homem carismático, um doido, um homem que era feliz com os seus copos… Que fazer, eras o meu pai!!!

Só quem te conheceu poderá entender do que falo!! Nós bem tentámos arrancar-te esse teu maldito vício mas era mais forte do que tu!! Mesmo com esse mundo de excessos tu eras feliz… Tentavas sempre fazer os outros felizes ao teu jeito!!!

Enfim, tenho saudades do normal… Sim, porque para nós era normal esse modo de vida e por isso era fácil gostar de ti mesmo assim!! Que podíamos fazer, eras um pai tão bom para nós, o orgulho nos filhos… Tu não vias defeitos em nós! Para ti éramos os filhos mais lindos e perfeitos do mundo!!

Pai, iremos sempre recordar-te por tudo o que foste e pelo que nos fizeste aprender… A mim fizeste-me ver que a vida só tem sentido se estivermos com quem amamos, com os nossos, se desfrutarmos dos momentos juntos… E quando tu vias os teus quatro filhos juntos o teu olhar brilhava, pai! Sentia que era como se fôssemos os teus troféus!!

Ensinaste-me que a vida é uma passagem e de que vale ter dinheiro se não tivermos a nossa família, a perdoarmos, a aceitarmos tal como ela é?! E, pai, nós aceitávamos-te tal como tu eras…

Meu pai, nada substitui este sentimento, este amor bonito, que nunca acabará nem por ganância nem por erros… Nem por nada!!! E não é porque te perdemos que vamos deixar de amar-te e de nos amarmos uns aos outros! Distância nenhuma apaga o amor que um pai e uma mãe como os meus plantaram!!!

E hoje… Só hoje apetece-me baixar os braços e deixar as mãos caídas sobre o mundo… Deixá-las despidas… Despir-me de tudo o que me faz sofrer e simplesmente recordar o passado e senti-lo por mais que me custe!!

Saudades de tudo o que eu queria voltar a reviver… Saudades de ti, meu pai!! Eu era tão feliz e não sabia! Nós éramos tão felizes e não sabíamos!!!

AMO-TE, MEU PAI, MEU VERDADEIRO HERÓI!!!!

Não disfarço estas saudades... - Blog Katia Aveiro

3 Comments on “Não disfarço estas saudades…

  1. costei da tu carta tanben sento saudades do meu pai nao tive essa sorte de o coheçer un abraco katia

  2. Olá Cátia estas lindas palavras dedicadas ao teu pai era a imagem dele para sr Dinis era como eu tratava ele amava a família e as pessoas k rodeavam ele hoje tá muito orgulho de vc todos mesmo de lá de cima, se tu olhares para o céu todas as noites vai tar sempre uma estrela a brilhar, e ele sorrido para vós. Bjs

  3. Olá Katia,
    Näo consegui conter as lagrimas ao ler este texto.
    Infelizmente o meu pai também é uma estrela, já há alguns anos, e partiu pelas mesmas razöes.

    Tento amenizar a dor da sua ausencia sorrindo para os meus filhos.

    Beijinhos
    Luciana Ladeira

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *