A dor de duas mães

A dor de duas mães!

Quando li, nem queria acreditar…E não consegui ficar indiferente quando soube deste trágico desfecho. Como mãe é meu dever estar atenta, apelar e ter esperança por um mundo mais seguro para os nossos filhos!

Estas minhas palavras são dirigidas a duas mulheres que um dia tiveram a mesma felicidade que eu, ao dar à luz um filho. Felicidade essa que foi tirada num ato de crueldade e que, de um dia para o outro, as transformou para sempre! Por um lado, a dor de uma mãe por perder um filho de forma tão cruel e bárbara. Por outro, a  revolta de uma mãe que vê num filho vivo uma alma morta. Sou mãe e não me canso de gritar ao mundo a bênção que Deus pôs na minha vida: dois seres maravilhosos que são carne da minha carne e sem os quais não consigo imaginar o sentido desta vida.

Não vou, em momento algum, julgar a atitude desta mãe. Não sei realmente o que faria no lugar dela, nem calculo (por mais que tente) o que passará pela cabeça desta senhora. Imagino sim, a sua impotência! O Filipe, que foi vítima desta crueldade, tinha a idade do meu filho mais velho…

O que fazer numa hora destas?!?

Vou rezar pelo Filipe e pedir paz à sua alma. Vou rezar pelo Daniel e pedir a Deus que o perdoe. E às suas mães destroçadas, rezo para que Deus vos dê força, proteção divina e que vos ilumine neste momento tão difícil.

O meu coração está convosco! <3

A dor de duas mães

 

3 Comments on “A dor de duas mães

  1. Kátia este horroroso crime de um jovem contra outro jovem não devia acontecer simplesmente porque um perdeu de viver quanto tinha a vida dele toda à frente, o outro jovem que cometeu o crime coitado também como o amigo que ele matou estragou todo o seu futuro, eu pergunto de quem é a culpa destas barbaridades, infelizmente é o mundo que se criou com jovem que supostamente não tenham o respeito pelo ser humano simplesmente porque muitos pais não convivem com os filhos e não à dialogo entre pais e filhos, porque esta era de jovens é cruel e má porque se acabaram os bons costumes entre famílias dentro de 4 paredes que é de onde deve sair os bons princípios pelo contrário se tornam em assassinos e em ladrões, deveria haver uma situação em que estes jovens deveriam ser inseridos em escolas próprias para que jamais se volte a repetir tanta barbaridade teriam que ter apoio psicológico formações em que eles deviam frequentar para aprender uma profissão e eu pergunto onde à tudo isto não à simplesmente porque não temos um governo que tenha capacidade para parar com tudo isto simplesmente se importam em fazer corrupção e roubar em vez de se juntarem e organizar esta juventude, infelizmente é o prato do nosso dia a dia porquê de tanta crueldade e maldade? Também tenho 3 filhos adultos e 7 netos onde um deles tem tido alguns problemas mas as más companhias e também o dar-lhes tudo isso tudo faz mal.

  2. Partilho da mesma opinião que tu,também já me tentei por na pele das duas… E é de facto muito, mas muito mau… Tanto de um lado como do outro. Paz a alma do Filipe… Quanto ao Daniel…qute deus lhe perdoe, mas tamanha inveja e maldade.

  3. Contam-se pelos dedos das mãos os comentários que já fiz em blogs, seja qual for a sua natureza, mas não podia deixar de escrever alguma coisa sobre o que a Kátia escreveu. Sou mãe de três filhotes e considero-me uma pessoa bastante esclarecida. Gosto de ver/ler as noticias do dia.
    Nos últimos dias fomos bombardeados com informação acerca deste caso. Muitas opiniões de anónimos, de jornalistas tendenciosos, comentadores, alguns bastante respeitados na “nossa praça”, imensos posts no facebook, em blogs… De todos, este foi, sem duvida, aquele com que me identifico mais. A Kátia opinou acerca do assunto, não julgou e assumiu que estamos todos sujeitos a situações menos boas. Mas o mais importante, e o que faltou à maior parte dos que opinaram acerca do assunto, assumiu a sua ignorância. Ignorância da qual eu partilho. Não posso julgar nenhuma das mães, não sei o que faria se passasse por uma destas situações, ninguém sabe! São situações extremas. São aquelas situações que só passando por elas. Pode dizer-se: “Eu faria isto! Eu faria aquilo!” mas na realidade, não sabemos. Já cuspi muito para o ar e não correu bem mas a idade e a maturidade ensinaram-me a não o fazer. Já me alonguei no comentário. Desejo-lhe muitas felicidades para si e para os seus e continue a publicar os seus posts que transmitem sempre muita felicidade, harmonia e, principalmente, AMOR.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *